Desenvolvimento Tv Digital

Por Diego,Gabriel e Halina em 04/05/2011

A Tv digital foi criada pelo o governo brasileiro em dezembro de 2007, para levar o sinal digital para todo o Brasil. Ela é mais barata, permitindo assim qualquer classe social ter acesso a elas. Possui uma nova transmissão de dados, possui uma visualização de informações em formato digital e permite a interatividade com os programas. A primeira transmissão digital de Tv digital foi realizada em São Paulo. A SBTVD (Sistema Brasileiro de Tv Digital) criou uma página onde foi feita a primeira transmissão digital do Brasil.
Existem alguns aplicativos para Tvs digitais, entre eles tem-se a guia de programação eletrônica, que permite o usuário consultar e escolher os canais e os programas de sua preferência, como programas para acompanhamento de esportes. Para ser feita a transmissão digital o gerador de conteúdo se encarrega de gerar e compactar o conteúdo a ser transmitido por meio de um canal de difusão, tais como cabo e rádio de difusão. Ao receber o conteúdo, o STB (Set Top Box) descompacta e exibe o conteúdo ao usuário através do aparelho de TV. No caso de uma aplicação interativa o STB pode usar um canal de retorno, como o telefone ou o cabo, para enviar dados ao gerador de conteúdo. Ou seja, o STB cria as imagens para que possam ser vistas pela televisão.

flickr:5687533849

A TVDI é desmembrada em três componentes, sendo estes: difusor, que se divide em dois serviços, os quais são difusão e a interação, que manipulam, geram o conteúdo para os receptores. Existem diversos tipos de canais que podem realizar a difusão. No Brasil, o meio de difusão adotado é o de radiodifusão (Distribuição por radiofrequência, que é feita através do espectro de frequência). Essas faixas de frequência são alugadas pelo o governo às emissoras. Existindo assim, poucos canais abertos disponibilizados a população.
A radiodifusão tem como fator negativo a recepção do sinal, pois normalmente na transmissão digital a recepção é binária, caso o sinal não seja recebido, a Tv perde o sinal, fica fora do ar, apresentando imagens “fantasmas” e chuviscos. Caso contrário, apresenta uma imagem sem “fantasmas” e sem chuviscos, em outras palavras bastante nítidas.

flickr:5687540007

A TVDI possui uma infraestrutura que é constituída por componentes que estão contidos em camadas distintas, sendo elas: modulação, transporte, compressão, Middleware e aplicações.
Ginga é um middleware aberto que permite a criação de aplicações para o Sistema Brasileiro de TV Digital, sendo o mais avançado no país pelo seu agrupamento de tecnologias avançadas e inovações.
Ele possui três subdivisões principais que permitem o desenvolvimento de aplicações que seguem paradigmas de programação diferentes, que não são concorrentes, pois a escolha de um deles depende dos requisitos do projeto e não da preferência do desenvolvedor. Sendo eles Ginga-J para aplicações procedurais Java e Ginga-NCL para aplicações declarativas NCL e o Ginga CC que oferece suporte básico para os outros dois ambientes declarativos, ele fornece o controle do plano gráfico e controla o acesso ao canal de retorno.
Para DTV – TV Digital Brasileira (2009) “O Ginga-J foi desenvolvido pela UFPB para prover uma infraestrutura de execução de aplicações baseadas na linguagem Java, com facilidades especificamente voltadas para o ambiente de TV Digital”. Com suporte a Java, que possui APIs que devem suprir as funcionalidades necessárias para o desenvolvimento de aplicações para TV digital. Sendo possível através dela manipular textos, vídeo, áudio entre outros.

flickr:5688108442

A linguagem de programação NCL (Nested Context Language) foi desenvolvida pela PUC-Rio com o objetivo de facilitar as especificações de interatividade, sincronismo espaço-tempo entre os objetos de mídia, adaptabilidade, suportar múltiplos dispositivos e suportar programas ao vivo interativos não lineares (DTV – TV Digital Brasileira).
A NCL é uma linguagem XML declarativa que mantém os objetos semanticamente unidos em uma apresentação multimídia, um aplicativo NCL define como os objetos de mídia são estruturados e relacionados no tempo-espaço.
Os aplicativos interativos são geralmente transmitidos no mesmo sinal onde estão a imagem e o som que chegam aos receptores de tvs. Com o receptor DTVi, toda vez que as emissoras transmitirem uma interatividade, no canto da tela é apresentada um símbolo de interatividade, informando a recepção do sinal. Esses serviços ainda não estão disponíveis para operadoras de cabos e satélites.

flickr:5688108468

A tecnologia que trouxe a sociedade brasileira e internacional a inovação da tv digital que impactou fortemente no cotidiano dos mesmos. Suas mudanças impactaram de maneira forte nas classes que possuem acesso maior a este recurso, pois as classes que tem a maior facilidade de acesso são as média e alta. A grande vantagem de esta tecnologia estar se expandindo é o crescimento ao acesso a inovação tecnológica, que com um tempo vai englobando toda a sociedade independente de classe, como aconteceu com as câmeras digitais, computadores e inclusive, hoje, a população está tendo mais facilidade de ter posse de um laptop, net books etc., em suas casas.

flickr:5687540421

São muitos os padrões adotados para o uso dessa nova tecnologia para países diferentes, como no EUA o padrão adotado é ATSC, que inclusive foi o primeiro a fazer da pesquisa para o uso do mesmo, mas o modelo admitido e mais utilizado é o formato HDTV(Alta Definição de Televisão Digital – High Definition Digital Television), e existe outro padrão mas não é utilizado como SDTV(Padrão de Televisão Digital – Standard Digital Television), pois alguns recursos não foram ainda desenvolvidos de maneira que seja suficiente para uso desse padrão. Já na Europa, o padrão é o DVB. Lá eles tiveram algumas dificuldades para o uso da implantação do mesmo, inclusive não foi muito adotado pela sociedade européia, talvez pelo custo ou dificuldades encontradas para o começo do uso. No Japão o padrão usado é o ISDB (Integrated Services Digital Broadcasting), que foi criado por um grupo que tem uma emissora como base de uso e experimentos de novas tecnologias relacionadas ao digital.
Todo esse recurso colabora para um grande crescimento na ajuda de alfabetizar a sociedade de forma digital, já que o governo eletrônico,de forma especial no Brasil, tem se mostrado disposto a colaborar com a inclusão desse recurso, já que a TV é um meio muito acessível. Com o tempo a intenção é fazer a substituição da TVs analógicas por digitais, trazendo assim um grande avanço para o país, como acontece em outros grandes países que já sentem o impacto positivo pelo grande uso do mesmo.

Referências:

-http://www.buscalegis.ufsc.br/arquivos/TV%20DIGITAL%20-%20%20A%20NOVA%20FERRAMENTA%20GOVERNAMENTAL%20PARA%20A%20INCLUS%C3O%20SOCIAL.pdf
- www.dsc.ufcg.edu.br/~pet/…/Artigos/ARTIGO_TVDIGITAL.pdf
http://blog.mauriciojunior.org/post/Desenvolvimento-de-aplicativos-tv-digital.aspx
http://www.tvdi.inf.br/site/artigos/Monografias%20(Graduacao)/Desenvolvimento%20de%20um%20aplicativo%20para%20TV%20Digital%20Interativa%20utilizando%20a%20tecnologia%20Java%20TV%20-%20SEDREZ.pdf
http://www.dtv.org.br/

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License