Licenças X Codigo Livre X Codigo Aberto

Software Gratuito ou Freeware

O termo Freeware foi introduzido por Andrew Fluegelman quando desejava vender um programa chamado PC-Talk que havia criado, mas não queria usar métodos tradicionais de distribuição por causa do custo.

Fluegelman, na realidade, acabou distribuindo o PC-Talk sendo freeware, mas a distribuição do mesmo assemelha-se a uma licença chamada de Shareware (Programa de computador disponibilizado gratuitamente, porém com algum tipo de limitação).

Um software é gratuito ou freeware quando possui suas funcionalidades completas por tempo ilimitado sem custo monetário, onde sua utilização não implica no pagamento de licenças de uso, ou seja, patentes dos produtos cobradas pelo proprietário.

Porém, um sistema chamado de freeware ou software gratuito, não é necessariamente um software livre, pois muitos deles não possuem código abertos e podem vim acompanhados de licenças restritivas, limitando o uso comercial, a redistribuição não autorizada, a modificação não autorizada ou outros tipos de restrições.

Shareware

Em 1982 com a criação do PC-Talk de Andrew Fluegelman, que por sua vez foi distribuído como um sistema freeware, mas tinha suas limitações, Bob Wallace produziu uma ferramenta de edição de texto PC-Write que foi distribuída com licença shareware.

A partir daí, nos anos 80 e 90 programas shareware começaram a ser distribuídos amplamente por distribuidores que produziam catálogos de até milhares de programas shareware.

Um software é considerado shareware, quando é disponibilizado gratuitamente por um período de tempo, e/ou com algumas funções abertas, mas que implica no posterior pagamento pela sua licença. Geralmente possuem funcionalidades limitadas ou tempo de uso é gratuito, e ao final do tempo o usuário e requisitado a pagar para acessar funcionalidades completas ou poder continuar acessando o programa.

Software Livre

Em 1983, Richard Stallman iniciou o projeto GNU (Projeto com objetivo de criar um sistema operacional totalmente livre), e em outubro de 1985 fundou a Free Software Foundation (FSF – Fundação sem fins lucrativos que se dedica à eliminação de restrições sobre a cópia, redistribuição, entendimento e modificação de programas de computadores).

Stallman introduziu os conceitos de software livre, os quais foram especificamente desenvolvidos para garantir que a liberdade dos usuários fosse preservada.

Segundo a fundação FSF, software livre é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, modificado, e redistribuído sem nenhuma restrição.

Um software é considerado livre quando atende aos quatro tipos de liberdade para os usuários do software definida pela FSF.

São elas:

1ª - A liberdade para executar o programa, para qualquer propósito;

2ª - A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;

3ª - A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo;

4ª - A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie.

A maioria do Software Livre é licenciada como:

GPL (Licença Publica Geral):

A GPL é a licença mais utilizada por parte do projeto de software livre, devido a sua adoção pelo linux.

Em termos gerais a GPL baseia - se nas quatro tipos de liberdade do usuário definida pela FSF.

Com a garantia dessa liberdade, ela impede que o software seja integrado em um software proprietário e garante os direitos autorais.

Não permite que as liberdades originais sejam limitadas, nem que sejam impostas restrições que impeçam a distribuição da mesma forma que foram adquiridos.

BSD (Berkeley Software Distribution):

A licença BSD é uma licença de código aberto inicialmente utilizada nos sistemas operacionais do tipo Berkeley Software Distribution (um sistema derivado do Unix). Apesar de ela ter sido criada para os sistemas BSD, atualmente vários outros sistemas são distribuídos sob esta licença.
A licença oficial BSD tem sido revisada desde a sua criação, e inspirou inúmeras variantes utilizadas por outros desenvolvedores de software.
Esta licença impõe poucas restrições quando comparada àquelas impostas por outras licenças, como a GNU, colocando-a relativamente próxima do domínio público.
Os programas com a licença BSD podem ser vendidos e não precisa incluir código fonte.

Código Aberto ou Open Source

O termo código aberto, ou open source em inglês, foi criado pela Open Source Initiative (OSI - uma organização dedicada a promoção do código aberto) e se refere ao mesmo software também chamado de software livre, ou seja, aquele que respeita as quatro liberdades definidas pela Free Software Foundation. Qualquer licença de software livre é também uma licença de código aberto.

Enquanto a FSF usa o termo "Software Livre" para trazer um discurso baseado em questões éticas, direitos e liberdade, a OSI usa o termo "Código Aberto" para discursar sobre um ponto de vista puramente técnico, sem conflitar questões éticas.

Esta nomenclatura e discurso foram forjados por Eric Raymond e outros fundadores da OSI para apresentar o software livre a empresas de uma forma mais agradável a visão das corporações.

O software de código aberto é aquele que disponibiliza seu código fonte e restringe-se aos termos técnicos da questão. Pode ser livre, ou proprietário. Algumas empresas como IBM, HP, Intel e Nokia investem em software de código aberto.

Compiladores X Licenças

Compilador é um software que faz parte de um sistema basico, que traduz um texto fonte escrito numa linguagem fonte de programação de alto nivel, gerando um texto fonte, escrito numa linguagem objeto de programação que pode ser de baixo ou alto nivel, propiciando uma execução futura;
Baseando-se nesse conceito, para desenvolver um sistema precisamos de um compilador ou Interpretador ou montador, entre outros, esse "compilador" pode ser Freeware (quando possui suas funcionalidades completas por tempo ilimitado), shareware (quando é disponibilizado gratuitamente por um período de tempo), trial e etc, como visto anteriormente.
Logo, licenças tem uma relação muito forte com compiladores, pois quando um software(Compilador) é criado é necessario definir a licença dos mesmo, ou seja, se o mesmo vai ser pago, se vai ser livre, se vai ser disponibilizado o codigo fonte, entre outras.
Existem compiladores de diversos tipos de licença e de diversas plataformas, fabricantes, mas é necessario saber que quando o "programador" esta desenvolvendo o software o mesmo já esta pensando em como divulga-lo e quanto vai valer(Se for o caso).

Referências

-> http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_gratuito
-> http://www.htmlstaff.org/ver.php?id=15248
-> http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%B3digo_aberto
-> http://www.oficinadanet.com.br/artigo/1278/freeware_e_shareware_o_que_sao
-> http://pt.wikipedia.org/wiki/Licen%C3%A7a_BSD
-> http://pt.wikipedia.org/wiki/Licen%C3%A7a_P%C3%BAblica_GNU
-> http://www.fsfla.org/svnwiki/about/what-is-free-software.pt.html
-> http://webinsider.uol.com.br/index.php/2005/07/30/licencas-bsd-e-gpl-uma-breve-comparacao/

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License